MotorDream

Testes

Teste: Citroën C4 Picasso Intensive - Na contramão do mercado

06/09/2017 09:00  - Fotos: Isabel Almeida/Carta Z Notícias
Envie por email

Citroën quer encarar os SUVs médios com a minivan C4 Picasso

por Marcio Maio
Auto Press

Todas as marcas automotivas parecem olhar fixamente para o segmento dos SUVs no Brasil. A Citroën, no entanto, caminha na contramão desta movimentação. Sem uma opção de utilitário esportivo, a fabricante francesa batalha por um espaço ao concorrer com um modelo vocacionado para o uso familiar com sua minivan C4 Picasso. A ideia pode até parecer ultrapassada, mas o fato é que o modelo tem atributos de sobra para vencer comparativos focados no conforto e na tecnologia com diversos SUVs médios. Principalmente em sua configuração de topo, a Intensive, que agrega boa lista de série, pacote de opcionais extremamente interessante e trem de força vigoroso. 

A terceira geração do Picasso – segunda na linha C4 – chegou ao país em outubro de 2015, mas já neste ano, em junho, recebeu as alterações promovidas em seu primeiro face-lift. A grade foi centralizada e ganhou formato retangular. Na parte de baixo do para-choque dianteiro, uma nova entrada de ar se funde visualmente aos nichos dos faróis de neblina. Estes, por sua vez, ganharam uma moldura vazada na parte interna, numa referência à marcante moldura das janelas laterais traseiras. Atrás, apenas as lanternas ganharam seções tridimensionais. Outra mudança ocorreu no desenho das rodas, que agora são diamantadas – com partes pintadas de preto brilhante.

O motor, no entanto, segue intacto. Trata-se do mesmo 1.6 16V THP – de turbo high pressure – disponível em boa parte do line up da marca. No C4 Picasso, porém, ele aceita apenas gasolina e rende 165 cv de potência a 6 mil rpm e 24,5 kgfm de torque já a partir de 1.400 giros. A transmissão é automática de seis velocidades, com modo manual sequencial e paddle shifts atrás do volante. 

A lista de itens de série é bem completa. Engloba o estiloso para-brisa estendido Zenith, central multimídia com tela touch de 7 polegadas e navegador GPS, ar-condicionado de duas zonas, rodas de liga leve de 17 polegadas, retrovisores externos elétricos e rebatíveis, sensores de obstáculos, de chuva e de luminosidade, bancos individuais reguláveis, freio de estacionamento elétrico, controle de estabilidade, tração e assistência de partida em rampa, volante multifuncional, painel de informações em tela de 12 polegadas centralizada, teto panorâmico, faróis autodirecionais com xênon, chave presencial, câmara de ré, lanternas em led, Iluminação do chão próximo à porta e faróis de neblina com iluminação lateral em curvas. 

A Citroën cobra R$ 132 mil pelo C4 Picasso Intensive, mas essa conta pode subir ainda mais. A configuração de topo aceita dois pacotes opcionais. O Comfort adiciona revestimento em couro e tecido, bancos dianteiros com massageador e apoio de pernas para o carona, sensor para ponto cego, monitoramento 360º com quatro câmaras para estacionamento ao custo de R$ 9.900. Já o Luxe tem valor ainda mais salgado, de R$ 20 mil. Ele inclui revestimento totalmente em couro, sistema para estacionamento automático, leitor de placas de trânsito, retrovisor eletrocrômico, banco do motorista com regulagem elétrica e dianteiros com massagem e aquecimento, farol alto automático e monitoramento de faixa. Em função disso, a variante rivaliza com SUVs médios completos. Mas ainda está longe de emplacar as tão sonhadas mil unidades anuais da Citroën. De junho, quando o face-lift foi lançado, até agosto, o modelo subiu de 32 unidades mensais para 38. Parece pouco, mas já representa um crescimento de 18,7% nos emplacamentos. 

 

Ponto a ponto

Desempenho – O C4 Picasso Intensive pode até ser um modelo focado no conforto de seus ocupantes e em sua vocação familiar, mas seu trem de força segue impressionando em movimento. Talvez por isso não tenha sido mexido. O THP de 165 cv, aliado à transmissão automática de seis marchas, empolga em qualquer faixa de giro, já que seu torque máximo – de 24,5 kgfm – se mostra presente entre 1.400 rpm e 4 mil rpm. Na cidade, esse vigor se expressa em excelentes arrancadas. Já na estrada, retomadas e ultrapassagens são seguras e a sensação de força é plena e constante. Nota 9.

Estabilidade – Mais uma vez, apesar da proposta não ser de esportividade, o C4 Picasso é bem estável. As rolagens de carroceria até aparecem, mas sempre de maneira sutil e as curvas mais acentuadas são encaradas sem grandes problemas. E, em caso de excessos, o controle eletrônico de estabilidade age sem cerimônias. Nota 9.

Interatividade – Nesse aspecto, o C4 Picasso Intensive impera e se mostra até melhor que modelos de marcas premium. A chave é presencial, a central multimídia é completa e o painel de instrumentos é centralizado, com uma tela de 12 polegadas. A alavanca do câmbio fica na coluna de direção – semelhante aos modelos da Mercedes-Benz – e a posição de dirigir mais alta é extremamente confortável. A ampla área envidraçada torna a visibilidade incrível e os bancos, opcionalmente, fazem massagem nos ocupantes da frente e também aquecem. Nota 10.

Consumo – O InMetro aferiu o consumo do C4 Picasso Intensive e registrou média de 9,9 km/l e 12,2 km/l na cidade e estrada, sempre com gasolina – único combustível com o qual o C4 Picasso roda. Esses números lhe renderam nota B na categoria e C no geral. Nota 7.

Tecnologia – A plataforma da nova geração do C4 Picasso é a EMP2 – Efficient Modular Platform 2 –, mesma usada na segunda geração do Peugeot 308 e que, entre outras inovações, conseguiu uma redução de peso de até 140 kg. A “dieta” é resultado principalmente de novos tipos de aço – mais resistentes – e mudanças nos processos de industrialização, com o uso de chapas mais finas, mas que sustentam a rigidez estrutural. O modelo também tem mais alumínio em sua estrutura e assoalho em materiais compostos. A lista de itens de segurança, entretenimento e conforto é bem ampla e a de opcionais engloba leitor de placas de velocidade, comutação automática de farol alto e baixo, alerta e correção de desvio involuntário de trajetória, alerta de ponto cego e correção de trajetória, sistema de estacionamento automático, bancos em couro que aquecem e massageiam os ocupantes da frente, regulagem elétrica para motorista e banco do passageiro dianteiro com apoio de pernas com extensão via acionamento elétrico. Nota 9.

Conforto – O espaço interno do C4 Picasso é bem farto. Qualquer um dos cinco ocupantes fica confortavelmente posicionado, graças às poltronas individuais. A suspensão consegue absorver com competência as imperfeições do piso e a sensação de espaço é ampliada pela grande proporção de área envidraçada, incluindo o para-brisa panorâmico, janelas laterais e teto de vidro. Nota 9.

Habitabilidade – Entrar e sair da espaçosa minivan da Citroën é extremamente fácil. O interior tem altura e largura suficientes para que os passageiros se movimentem com tranquilidade. Há porta-objetos no habitáculo em bom número e tamanho. O porta-malas carrega 537 litros, uma boa capacidade para um SUV médio, por exemplo. Nota 8.

Acabamento – Esse é um ponto em que a Citroën se destaca desde seus modelos de entrada. Os plásticos usados são de bom toque e o couro usado no revestimento dos bancos é aparentemente de alta qualidade. Para qualquer lugar que se olhe, há um toque de requinte que normalmente só se vê em marcas superiores. O interior transmite a ideia de muita qualidade e elegância. Nota 9.

Design – As alterações estéticas promovidas pelo recente face-lift foram bem leves. A dianteira segue dominada pelo duplo chevron alongado e a grade foi centralizada, com formato retangular. Ainda na frente, uma nova entrada de ar se une às renovadas molduras das luzes de neblina. Atrás, as lanternas passaram a ter seções tridimensionais. As rodas também estão diferentes, com partes pintadas de preto brilhante. Nota 9.

Custo/benefício – O Citroën C4 Picasso Intensive traz bom trem de força e amplo espaço interno por R$ 132 mil – preço próximo ao de SUVs médios. Completo, ou seja, repleto de itens de conforto, entretenimento, conectividade e segurança, vai a R$ 152 mil. É caro, mas é bem difícil encontrar concorrentes com tantos recursos e tecnologias. Nota 7.

Total – O Citroën C4 Picasso Intensive somou 85 pontos em 100 possíveis.

 

Impressões ao dirigir

Familiar divertido

As mudanças estéticas promovidas no C4 Picasso não chegam a marcar uma grande diferença neste face-lift da nova geração do modelo. Mas serviram para deixá-lo ainda mais em destaque nas ruas, onde não é tão fácil encontrá-lo. E não ter mudado tanto não chega a ser um demérito: na verdade, desde o visual ao desempenho, passando pela tecnologia embarcada, o C4 Picasso sempre se saiu bem. Principalmente na versão de topo Intensive. 

O motor THP de 165 cv move o modelo com extrema facilidade. Basta pisar com um pouco mais de vontade o acelerador para perceber o ganho de força. Arrancadas, retomadas e ultrapassagens são realizadas sem buracos ou “turbo lags”. A transmissão automática de seis velocidades trabalha em tamanha sintonia com o propulsor que é até difícil lembrar das aletas atrás do volante para trocas manuais, já que o trem de força parece sempre “entender” direitinho que reação o motorista espera de acordo com a intensidade de sua pisada no pedal direito. 

A suspensão não chega a ser preparada para garantir esportividade, mas resulta em uma carroceria equilibrada e com rolagens extremamente sutis e controláveis. Mesmo quando o motorista exige um pouco mais do modelo, o C4 Picasso se mostra neutro e com as quatro rodas bem presas ao chão. E também filtra bem as imperfeições das ruas nacionais, apesar do modelo ter sido projetado para circular pelas estradas lisas da Europa. 

Um ponto que chama bastante atenção no C4 Picasso Intensive é o quanto sua cabine parece mesmo ter sido pensada para garantir o conforto e a tranquilidade de todos os passageiros. O volante multifuncional faz com que o motorista não precise retirar as mãos da direção para acessar a central multimídia e, ao centro, as duas telas – uma de 7 e outra de 12 polegadas – guardam todas as informações que são necessárias ao condutor. O sistema de entretenimento tem GPS e pode espelhar celulares. Além disso, os com bancos são individuais e, a partir de pacotes opcionais, garantem massagem e aquecimento nos bancos e extensor elétrico para pernas na poltrona do passageiro que possibilita que o carona praticamente deite. É, de fato, um clima de sala de estar. 

 

Ficha técnica

Citroën C4 Picasso Intensive

Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, turbo com intercooler, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Comando duplo de válvulas no cabeçote com sistema de variação de abertura na admissão e escape. Injeção eletrônica multiponto e acelerador eletrônico.

Transmissão: Câmbio automático de seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle de tração.

Direção: Elétrica com correção de trajetória pelo controle de faixa e pelo sensor de ponto cego.

Potência máxima: 165 cv a 6 mil rpm.

Torque máximo: 24,5 kgfm entre 1.400 rpm e 4 mil rpm.

Aceleração 0-100 km/h: 8,4 segundos.

Velocidade máxima: 210 km/h.

Diâmetro e curso: 77,0 X 85,3. Taxa de compressão: 11,0:1

Suspensão: Dianteira do tipo MacPherson com barra anti-inclinação. Traseira com travessa semideformável com função anti-inclinação. Controle eletrônico de estabilidade.

Pneus: 205/55 R17.

Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. ABS com EBD.

Carroceria: Minivan em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 4,43 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,62 m de altura e 2,79 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina.

Peso: 1.405 kg.

Capacidade do porta-malas: 537 litros.

Tanque de combustível: 57 litros.

Produção: Vigo, Espanha.

Itens de série: Para-brisa estendido (Zenith), central multimídia Bluetooth com tela touch de 7 polegadas e navegador, ar-condicionado bizone, rodas de liga leve aro 17, retrovisores externos elétricos e rebatíveis, sensores de obstáculos, de chuva e de luminosidade, bancos individuais reguláveis, freio de estacionamento elétrico, controle de estabilidade, tração e assistência em rampa, volante multifuncional revestido de couro, painel de informações em tela de 12 polegadas, teto panorâmico, faróis autodirecionais com xênon, chave presencial para travas e ignição, botão start/stop, câmara de ré, lanternas em led, Iluminação do chão próximo à porta e faróis de neblina com iluminação lateral em curvas.

Preço: R$ 132 mil. 

Opcionais: Revestimento em couro, bancos dianteiros com massageador e apoio de pernas para o carona, sensor para ponto cego, monitoramento 360º com quatro câmaras para estacionamento, sistema para estacionamento automático, leitor de placas de trânsito, retrovisor eletrocrômico, banco do motorista com regulagem elétrica, bancos dianteiros com massagem e aquecimento, farol alto automático e monitoramento de faixa.

Preço completo: R$ 152 mil.

 

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas