MotorDream

Testes

Teste: Chevrolet Equinox Premier - Briga por cima

05/02/2018 21:00  - Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias
Envie por email

Teste: Chevrolet Equinox Premier - Briga por cima

Chevrolet Equinox Premier abusa em vigor e tecnologias para disputar espaço entre SUVs médios


por Márcio Maio
Auto Press

 

A trajetória da Chevrolet nos últimos anos no Brasil chega a ser curiosa. O mercado inteiro está, há algum tempo, com suas principais atenções voltadas para a categorias de SUVs. Mas a marca estadunidense tratou de renovar sua linha quase que inteiramente, com novas gerações e face-lifts substanciais – ficaram de fora apenas a minivan Spin e a picape compacta Montana. Tornou-se líder de vendas com o sucesso, principalmente, do hatch Onix e do sedã Prisma e, só então, gradativamente, apostou nos utilitários esportivos. Após renovar Tracker e Trailblazer, em outubro do ano passado passou a importar o Equinox, que ocupou a lacuna deixada pelo Captiva e chegou disposto a encarar os rivais médios. É claro que aumentar seus emplacamentos cai bem, mas nem é essa a principal função do novo carro. O Equinox é, na verdade, uma excelente vitrine tecnológica para a fabricante – principalmente em sua variante mais completa, a Premier. E chegou a emplacar média de 450 unidades mensais nos dois meses de vendas cheias de 2017. Coincidência ou não, a Chevrolet ainda comercializou mais de 2 mil unidades do Tracker em dezembro, ou seja, o dobro da média mensal do ano do SUV compacto.

 

 

O Equinox é produzido em San Luis Potosí, no México. Inicialmente, veio apenas na versão mais completa, reforçando o potencial tecnológico do carro e nivelado na faixa de preço de versões superiores de modelos concorrentes. Hoje, o preço é R$ 155.990, mas sem qualquer opcional disponível, exceto pelas cores metálicas ou perolizadas. Esse valor inclui equipamentos como sistema de estacionamento semiautomático e até um sistema de tração integral acionado pelo painel – sem habilitá-lo, o Equinox roda com tração dianteira.

 

 

 

O principal diferencial do Equinox em relação aos concorrentes está no trem de força, que é comum nas duas versões disponíveis – a de entrada LT foi disponibilizada um mês depois de seu lançamento, no final de novembro. Trata-se de um motor 2.0 turbo de 262 cv, gerenciado por um câmbio automático de nove marchas. Suspensão independente nas rodas traseiras, estruturas de subchassis e tecnologias de controle de estabilidade e de tração também estão no pacote.

 

 

Há ainda alguns itens sofisticados, como ar-condicionado de duas zonas, chave presencial, farol alto automático, tampa traseira elétrica – funciona a partir de sensores de movimento – e faróis full led. A versão Premier tem ainda seis airbags, auxílio de partida em rampa, controle de velocidade em descida, alertas de colisão sonoro, por vibração no banco e visual, sistema de frenagem automática de emergência, monitor de pressão dos pneus, sensor crepuscular e de chuva, carregador de smartphone por indução, sistema multimídia com Bluetooth, navegação por GPS, controle de velocidade de cruzeiro e sistema de partida remota do motor. O motorista também conta com banco com regulagem elétrica e duas posições de memória – bom para quem pretende dividir o carro com alguém.

 

Ponto a ponto


Desempenho – O Equinox utiliza o mesmo motor 2.0 turbo do cupê Camaro nos Estados Unidos, que rende 262 cv e 37 kgfm de torque, este último disponível plenamente em 4.500 giros. A faixa de rotação em que o torque máximo dá as caras é alta, mas isso não significa necessariamente falta de força. Aliás, ela sobra no modelo. Prova disso é o bom zero a 100 km/h em apenas 7,6 segundos, nada mal para um SUV com quase 1.700 kg em ordem de marcha. O casamento entre motor e o câmbio automático de nove velocidades resulta em uma boa dirigibilidade e o que impressiona é que, apesar de tamanha força, o rodar é bem suave. Entre os concorrentes diretos, o Equinox é certamente o mais poderoso no desempenho. Nota 9.

 

Estabilidade – Como se espera de um carro desse porte, o SUV da Chevrolet é bastante estável em ciclo urbano. Seu comportamento em curvas transmite bastante segurança na condução e há diversos aparatos eletrônicos e mecânicos que favorecem nesse sentido. Inclinações e rolagem da carroceria até surgem, mas de maneira muito sutil. Nota 9.

 

Interatividade – Há muitos recursos no Equinox Premier, mas é fácil se acostumar com tudo no veículo. Os comandos são bem localizados e com utilização intuitiva, o sistema multimídia tem GPS e pacote OnStar que pode simplificar o dia a dia de alguns motoristas e a lista de equipamentos de série da versão topo de linha ainda contempla alerta de esquecimento de criança no banco traseiro e sistema de abertura elétrica da tampa do porta-malas, a partir de sensor de movimento. Nota 9.

 

 

Consumo – O Chevrolet Equinox não aparece na tabela do Programa de Etiquetagem do InMetro, mas a marca garante que o instituto aferiu médias de 10,1 km/l de gasolina na estrada e 8,4 km/l na cidade – o propulsor não é flex. Não é econômico, mas também não estão tão mal, diante o porte do carro. Nota 6.

 

Conforto – São várias as características que favorecem o Equinox nesse aspecto. A altura é boa, assim como o entre-eixos de 2,73 metros, que beneficia a cabine. O espaço para cabeças, ombros e pernas é generoso quando quatro passageiros estão no carro e os assentos têm ótima ergonomia. Atrás, a adoção do piso plano também ajuda a melhorar o conforto dos ocupantes traseiros, assim como saídas de ar-condicionado específicas para eles. Nota 8.

 

Tecnologia – A plataforma é nova, a modular D2XX, que estreou exatamente no Cruze de segunda geração, que é vendido no Brasil. Trem de força também é moderno e a lista de itens de série é bem recheada. Há farol alto automático, tampa traseira elétrica, sistema de estacionamento semiautomático, faróis full led, alertas de colisão sonoro, por vibração no banco e visual, sistema de frenagem automática de emergência e monitor de pressão dos pneus. A central multimídia é bem completa e antenada com a atual tendência de conectividade. Nota 9.

 

 

Habitabilidade – Há bons nichos para guardar celular, chave, carteira e outros objetos no interior do veículo. O porta-malas leva 468 litros, mas essa capacidade pode chegar a 930 litros com os bancos traseiros rebatidos. O teto solar panorâmico amplia ainda mais a sensação de espaço no interior. Nota 8.

 

Acabamento – Revestimentos de couro com costura dupla e muitos materiais agradáveis ao toque aparecem no interior do Equinox Premier. A mistura entre o tom cinza e o preto no habitáculo cria uma atmosfera charmosa e, ao mesmo tempo, evidencia as linhas do interior. Não há o luxo característico de um modelo premium, mas impressiona quando comparado a outros SUVs médios de marcas generalistas. Nota 8.

 

Design – As linhas do Equinox estão em equilíbrio com a assinatura visual dos outros modelos recentes vendidos no Brasil. Com sua proposta predominantemente urbana e familiar, não há um apelo esportivo ou qualquer preocupação exagerada em transmitir a robustez de veículos aventureiros – embora o Equinox Premier tenha tanto um motor vigoroso quanto boa capacidade off-road. Chama atenção o porte, imponente e elegante. Nota 8.

 

Custo/benefício – O Chevrolet Equinox Premier custa R$ 155.990, com motor 2.0 turbo de 262 cv e tração 4X4. Ele é bem equipado e vigoroso, mas seu principal concorrente no Brasil, o Jeep Compass, tem versões diesel com tração em valores próximos. Por um lado, o desempenho e o custo de manutenção mais em conta se destacam no Equinox. Porém, o trem de força turbodiesel do Compass garante mais economia de combustível e autonomia para viagens. Nota 7.

 

Total – O Chevrolet Equinox Premier somou 81 pontos em 100 possíveis.

 

Impressões ao dirigir


Suave e enérgico


De cara, o que mais chama atenção no Chevrolet Equinox é seu porte. Apesar de construído sobre a mesma plataforma dos médios hatch e sedã Cruze, o SUV parece bem maior até do que de fato é. Mas as dimensões são boas: 4,65 metros de comprimento, 2,11 m de largura, 1,70 m de altura e 2,73 m de entre-eixos. As linhas puxam mais para a elegância do que para qualquer ideia de robustez ou esportividade, embora os dois traços estejam presentes onde realmente importa, ou seja, na parte mecânica.

 

 

O acabamento chama atenção pelo cuidado e o abundante uso de materiais suaves ao toque. Não chega a ser luxuoso, mas carrega certo requinte. Há bastante couro, com costuras duplas, e uma mistura charmosa de tons entre o cinza claro e o preto. A lista de itens de série é até farta, mas não fica tão distante do que a concorrência oferece – aliás, alguns rivais até são mais bem equipados nos aparatos tecnológicos. De qualquer forma, há uma boa central multimídia, o pacote mais completo OnStar disponível, ar-condicionado de duas zonas com saídas exclusivas para os ocupantes traseiros e porta-malas elétrico, que se abre a partir de um sensor de movimento.

 

 

O grande trunfo do Equinox, na verdade, é comum tanto à versão de topo Premier quanto à de entrada LT. Trata-se do 2.0 turbo que move o SUV, capaz de entregar até 262 cv de potência e 37 kgfm de torque, que trabalha em conjunto com uma moderna transmissão automática de nove velocidades. Os números são mais que suficientes para garantir boas arrancadas, retomadas e ultrapassagens. E, apesar da vocação familiar aguçada do modelo, dá até para arrancar alguma emoção dele. Isso porque o conjunto suspensivo – planejado para priorizar o conforto –, aliado à tração 4X2 com 4X4 acoplável por comando no painel, mantém o modelo em bom equilíbrio tanto em estradas com mais curvas quanto em trechos propícios para uma rota fora de estrada.

 

 

Ficha técnica


Chevrolet Equinox Premier

 

Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1999 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, turbocompressor. Injeção direta e acelerador eletrônico.

Transmissão: Câmbio automático de nove marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira com tração 4X4 acoplável por comando no painel. Controle eletrônico de tração.

Potência máxima: 262 a 5.500 rpm.

Torque máximo: 37 kgfm a 4.500 rpm.

Aceleração de 0 a 100 km/h: 7,3 segundos.

Velocidade máxima: 210 km/h, limitada eletronicamente.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com barra estabilizadora ligada a hastes tensoras e molas helicoidais com carga lateral. Traseira independente tipo multilink com quatro braços. Controle eletrônico de estabilidade.

Pneus: 235/50 R19.

Freios: Discos na frente e atrás. ABS com EBD e sistema automático de frenagem de emergência.

Carroceria: Utilitário esportivo médio em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,65 metros de comprimento, 2,11 m de largura, 1,70 m de altura e 2,73 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais, de cabeça e laterais para os passageiros da frente.

Peso: 1.693 kg, em ordem de marcha.

Capacidade do porta-malas: 468 litros e 930 litros com os bancos traseiros rebatidos.

Tanque de combustível: 59 litros.

Produção: San Luis Potosí, México.

Lançamento mundial: 2017. Lançamento no Brasil: 2017.

Itens de série: Alarme, alerta de pressão dos pneus, protetor de cárter, sensor de estacionamento, sistema de fixação de cadeiras para crianças (Isofix), rack de teto, assistente de partida em aclive, câmara de ré, chave eletrônica com sensor de aproximação para abertura das portas e partida do motor, controlador de velocidade de cruzeiro, direção elétrica progressiva, retrovisor interno eletrocrômico, banco traseiro com encosto ajustável, bipartido e rebatível para assoalho plano, banco do motorista com regulagem elétrica e duas posições de memória, ar-condicionado dual zone com dutos de ar para o banco traseiro, coluna de direção com regulagem em altura e profundidade, retrovisores externos elétricos, central multimídia com tela LCD de 8 polegadas sensível ao toque, GPS, Android Auto, Apple CarPlay, Radio AM/FM, entrada USB e Aux-in, conexão Bluetooth, controles de áudio e telefonia no volante, alertas de colisão frontal, de movimentação traseira, de ponto cego, de permanência na faixa e vibratório de segurança no banco do motorista, frenagem automática de emergência, abertura e fechamento da tampa do porta-malas por sensor de movimento, carregador wireless, sistema semiautônomo de estacionamento para vagas paralelas e perpendiculares, sensor de chuva, sistema de partida do motor por controle remoto com acionamento do ar-condicionado, sistema premium Bose de áudio, faróis dianteiros em leds, farol alto adaptativo, rodas de alumínio aro 19'' e teto solar elétrico panorâmico.

Preço: R$ 155.990.

Opcional: Pintura metálica (R$ 1 mil) ou perolizada (R$ 1.700).

 

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas